Alimentos Funcionais

Como considera-se alimento funcional todo alimento que, além do seu valor nutritivo, tenha algum impacto positivo sobre a saúde do indivíduo, contendo componentes que afetam positivamente uma ou mais funções orgânicas específicas. Os efeitos positivos podem estar relacionados ao aumento da defesa orgânica, prevenção ou recuperação de doença específica, controle das condições físicas e mentais ou redução do ritmo de envelhecimento. É recomendado que o alimento funcional seja consumido como parte da alimentação diária, em quantidades habituais de consumo.

Alimentos considerados funcionais não podem ser ingeridos na forma de cápsulas e similares, mas como alimento, parte integrante das refeições diárias. Entre as várias funções atribuídas aos alimentos funcionais, destaca-se o papel antioxidante, que pode ser entendido como a propriedade que alguns alimentos têm de prevenir determinadas doenças ou retardar processos degenerativos, em especial grupos específicos, como gestantes, recém-nascidos, idosos e esportistas. São vários os nutrientes, presentes nos alimentos, que têm essa ação no organismo, tais como as vitaminas C e E, carotenóides (precursores da vitamina A), isoflavonas, Selenio etc.

 

Exemplos

– Vitamina C :poderoso antioxidante= encontrado em frutas, principalmente nas cítricas e de cor vermelha, vegetais folhosos e legumes. Boa parte da vitamina C presente nos alimentos é perdida durante o cozimento. Por isso, é importante consumir vegetais crus e frutas diariamente.

 

– Vitamina E: encontrada em óleos vegetais (milho, soja, girassol, etc), gérmen de trigo, nozes, amendoim e castanhas em geral.

 

Carotenóides: são corantes naturais de grande ação antioxidante, amplamente distribuídos entre os vegetais. As melhores fontes são a cenoura, o tomate, o espinafre, milho e Beterraba.

 

Flavonóides: presentes em algumas frutas e bebidas, como chá, vinho e cerveja. Muitos são pigmentos presentes nas cascas de legumes e frutas, como a antocianina presente na berinjela, na beterraba, no morango, na ameixa e na cereja. Também se encontram isoflavonas na pele de frutas e hortaliças em geral, nas ervas aromáticas, no alho, na cebola e no milho. Nesse grupo, encontram-se as isoflavonas presentes em algumas leguminosas como a soja, e que têm atividade estrogênica, ou seja, atuam de forma semelhante ao hormônio estrogênio no organismo.

 

Alimentos como carnes, leite, ovos, peixes, nozes e frutos do mar, podem conter enzimas e cofatores de enzimas com função antioxidante, assim como a Ubiquinona (Coenzima Q10), que tem a função de proteger membranas celulares e regenerar a vitamina E (a Ubiquinona é encontrada em peixes, nozes, óleos vegetais e carnes).

Os alimentos funcionais, com ação antioxidante, têm sido alvo de muitos estudos atualmente, existindo já muitas evidências quanto à possibilidade dos mesmos de prevenir doenças crônicas ou retardar processos degenerativos.

Quer saber mais, envie uma mensagem!

Deixe um comentário